Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2015

FILHOS DA MESMA FLORESTA

Sou paraense com muito orgulho. Nascido no norte do Brasil trago em mim as marcas da Amazônia, seus cantos, seus ritmos, sua ginga, sua magia e seus dramas. Está tudo em mim e ainda que eu quisesse retirar não conseguiria. O Pará está em mim ainda que hoje não more nele. Ele reverbera em mim no meu jeito de falar, de gesticular; pela farinha de mandioca, pela tapioca, pelo tucupi, pelo tacacá; pelo prato misturado; pelo gingado corporal que me ajuda a dançar o carimbó do mestre Pinduca, o siriá do mestre Verequete; pelas cerâmicas que enfeitam minhas paredes ou pelos cocares de seus povos ancestrais que teimam em me lembrar quem sou eu. Sou paraense porque trago em mim as marcas dos nossos rios, o gosto de nossos peixes, o canto de nossos pássaros, as danças dos antepassados, o caranguejo extraído dos manguezais, o remanso de nossas canoas, barcos, catamarãs e balsas; a crença no saci, na Yara, na mula-sem-cabeça, no fogo fátuo, no curupira, na matintaperera, no vira-porco, no lobisome…

ACADEMIA DE LETRAS DE LORENA COMPLETA 06 ANOS

No próximo sábado, dia 22 de agosto, a Academia de Letras de Lorena (ALL) irá completar seis anos de sua fundação. Com uma programação recheada de apresentações culturais, lançamentos de livros com autógrafos de seus autores, os novos eleitos tomarão posse de suas cadeiras completando o quadro da instituição que tem como membro, desde sua fundação, o escritor radicado em Lorena, Daniel Munduruku.
O evento é aberto para todos os interessados.
Confiram o convite com os dados complementares abaixo:


Fonte: Da Redação do Instituto Uk´a.

Senado Federal debate Jogos Mundiais Indígenas

O Senado Federal, através de sua Comissão de Educação, Cultura e Esporte, debateu, na manhã desta quarta-feira, 12, em audiência pública, em Brasília, os aspectos que envolvem a realização dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas (JMPI), que acontece em Palmas, de 23 de outubro a 1º de novembro.
Na abertura da audiência, o presidente da Comissão, senador Romário (PSB-RJ), falou sobre a importância do evento e confirmou presença na abertura. “O importante não é competir, e sim celebrar. Eu, particularmente, acredito que este mote que permeia os Jogos Mundiais Indígenas deveria permear todo tipo de evento esportivo. Pois não podemos mais pensar o esporte sem ter em vista o intercâmbio de culturas e estímulo à cooperação. Com certeza, estarei em Palmas para o início desta grande competição”, disse.
Na sequência, Romário passou a condução dos trabalhos para a senadora Lídice da Mata (PSB-BA), uma das autoras do requerimento que defendeu uma edição nacional dos Jogos na Bahia. A senadora Ân…