Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2011

Educação infantil é tema de debate no Theatro Pedro II

O foco para mudanças deve ser o professor, não o alunoPaulo Schneider Tamanho da LetraA-A+ Foto: Paulo Schneider / A CidadeO deputado e professor Chico Alencar, durante debate; clique para ver mais fotos A maneira como a literatura é trabalhada na sala de aula foi o ponto central da Mesa de Debates deste domingo, realizada no Theatro Pedro II.

Munduruku lançará dois novos livros durante o 13o. Salão FNLIJ do Livro Infantil e Juvenil

A Editora Callis convida para o lançamento de mais dois títulos de Daniel Munduruku.
Será no dia 17 de junho durante o 13o. Salão FNLIJ do Livro Infantil e Juvenil que acontecerá entre os dias 06 e 17 no Centro de Convenções SulAmerica, no Rio de Janeiro.


Programaçao do 8o. Encontro de Escritores e Ilustradores Indígenas

CLIQUE PARA AMPLIAR

Povos Baniwa e Coripaço avaliam Educação Escolar Indígena

As experiências com a Educação Escolar Indígena, desenvolvidas nos últimos dez anos com os povos baniwa e coripaço, vão ser avaliadas durante a Assembleia Geral da Associação do Conselho da Escola Pamáali (Acep), nos dias 25, 26 e 27 deste mês de maio, no município de São Gabriel da Cachoeira (a 858 quilômetros de Manaus). A Secretaria de Estado para os Povos Indígenas (Seind) confirmou presença no encontro, organizado pelo Conselho de Educação Escolar Indígena (CEEI/AM), da Secretaria de Estado de Educação (Seduc/AM).
A meta é construir o plano para mais dez anos de Educação Escolar na localidade. Mais de 800 indígenas são esperados na assembleia, que será realizada na Escola Municipal Indígena Baniwa e Coripaco-Pamaali (EIBC), no médio rio Içana, Terra Indígena Alto Rio Negro.
De acordo com o técnico da Seind Amarildo Maciel Munduruku, a Escola Pamáali transformou-se numa instituição importante de ensino no município e no Estado. É reconhecida pelo sistema municipal, c…
Almir Surui: um dos 100 mais criativos do mundo

Almir Surui, Labiway Esaga – o líder maior do povo Surui,
foi selecionado pela Revista Fast Company para figurar a
lista das 100 pessoas mais criativas no mundo dos negócios
no ano de 2010. Além disso, ele foi o brasileiro que
recebeu a melhor colocação, ficando na 53ª posição, à
frente do empresário bilionário, Eike Batista, que ficou
na 58º.

A lista contempla ainda personalidades de diversas áreas:
empresários, apresentadores, artistas, cantores,
escritores, jornalistas, entre outros. Destaque também
para a apresentadora americana Oprah Winfrey (12º), o
apresentador do American Idol, Ryan Secret e a
premiadíssima atriz Tina Fey (39ª).

Para conhecer a lista completa, acesse:
http://www.fastcompany.com/most-creative-people/2011

Projeto resgata tradições de aldeia indígena no sudeste do Pará

Iniciativa conta com oficinas de liguística e vídeo para retratar os costumes e as histórias dos antepassados do povo ParkatejêAnderson Dezan, enviado especial a Marabá (PA) | Um projeto da mineradora Vale em parceira com a ONG Vídeo nas Aldeias tem resgatado as tradições da comunidade indígena Parkatejê, localizada no município de Bom Jesus de Tocantins, no sudeste do Estado do Pará. No mundo atual, os índios cursam faculdade, trabalham e até se candidatam a cargos políticos. Esses avanços, no entanto, acarretaram um enfraquecimento da cultura local. O projeto tem como meta não deixar a história se perder.  Leia tambémEm aldeia indígena, mães convivem com as tradições e o novo Lançada em novembro do ano passado, a iniciativa conta com oficinas para que os jovens indígenas aprendam sua língua de origem, que não estava mais sendo utilizada. Nos encontros, coordenados por duas linguistas da Universidade Federal do Pará, são registrados em textos as histórias contadas pelo cacique Tomprãmre…

Aldeia em MG recebe restos mortais de índio que morreu na Alemanha

Borum Kuêk viajou para a Europa em 1818 a convite de um príncipe alemão.
Urna com restos do indígena foram entregues para a comunidade Krenak.Do G1 MG, com informações da Inter TV imprimir  Uma cerimônia na cidade de Jequitinhonha, na Região do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, marcou a entrega dos restos mortais de um índio mineiro que morreu há quase 200 anos na Alemanha. Borum Kuêk foi para a Europa a convite de um príncipe que queria conhecer a cultura do povo que habitava o Brasil. Comunidades Machacali, Pankararu e Krenak, tribos que mantêm a tradição indígena no estado, participaram da celebração. “Nosso relacionamento com outras culturas é antigo. É por isto que o nosso povo luta por esta questão do respeito cultural. Não só entre índios, mas entre toda a humanidade”, disse o indígena Douglas Krenak. Neste fim de semana, o cônsul adjunto da Alemanha no Brasil, Macos Hass, entregou ao prefeito de Jequitinhonha, Roberto Botelho, uma urna coberta pela bandeira brasileira com os…

EXIGIMOS RESPEITO À DIVERSIDADE CULTURAL!

INDÍGENAS EM MOVIMENTO: POR UMA POLÍTICA CULTURAL PARA NOSSOS POVOS. Amigos, amigas, aliados, aliadas, Eu assino embaixo o protesto orquestrado pelo Instituto Indígena Brasileiro para Propriedade Intelectual - INBRAPI - contra o desrespeito e descaso que o Governo Brasileiro tem demonstrado para com a rica diversidade cultural de nossa gente indígena. Faço isso não apenas como Diretor-Presidente do INBRAPI - incentivador desta ação -, mas também como cidadão brasileiro, indígena, escritor e militante da cultura nacional e que conhece os (des)caminhos da atual política cultural. Gostaria que lessem com a devida atenção o conteúdo proposto e se sentirem a vontade para nos apoiar, engrossem nossas fileiras para que nossa ação ganhe contorno nacional. "Índígenas em Movimento: Por uma Política Cultural para nossos Povos". Saudações Kaingáng, parentes e aliados! A criação de Pontos de Cultura Indígenas, dentro de terras indígenas a serem geridos por Organizações Indígenas foi uma reivi…

Entrevista: Daniel Munduruku - Nova Escola

Daniel Munduruku é filósofo, licenciado em História e Psicologia e doutor em Educação pela Universidade de São Paulo. Nascido no Pará e enfrentando todos os preconceitos de um indígena nas décadas de 1970 e 80, passou de um garoto alfabetizado em uma escola missionária, a um dos principais escritores da literatura indígena brasileira, com 42 livros publicados.
Nesta entrevista, concedida na Estância Ecológica Colina da Serra, em Itapecerica da Serra, região metropolitana de São Paulo, Munduruku fala sobre literatura, preconceito e educação indígena





Bolívia cria Lei da Mãe Terra: País dá exemplo ao mundo

A Bolívia está em vias da aprovar a primeira legislação mundial dando à natureza direitos iguais aos dos humanos. A Lei da Mãe Terra, que conta com apoio de políticos e grupos sociais, é uma enorme redefinição de direitos. Ela qualifica os ricos depósitos minerais do país como "bençãos", e se espera que promova uma mudança importante na conservação e em medidas sociais para a redução da poluição e controle da indústria, em um país que tem sido há anos destruído por conta de seus recursos, informa o Celsias.

Na Conferência do Clima de Cancun, a Bolívia destoou da maioria quando declarou que todo o processo era uma farsa, e que países em desenvolvimento não apenas estavam carregando a cruz da mudança do clima como, com novas medidas, teriam de cortar também mais suas emissões.

A Lei da Mãe Terra vai estabelcer 11 direitos para a natureza, incluindo o direito à vida, o direito da continuação de ciclos e processos vitais livres de alteração humana, o direito a água e …

Mundurukando é lançado em Natal

Na noite desta sexta-feira 06 de maio, aconteceu o lançamento do livro Mundurukando nas dependências da livraria da Cooperativa dos Professores da UFRN com a presença maciça de professores, estudantes, crianças e público em geral.

A abertura foi feita pelo presidente da cooperativa professor José Willington Germano que salientou a importância do evento para a manutenção da vocação literária da casa lembrando o dia internacional do livro que ocorreu no dia 23 de abril e salientando exposição de edições da obra de Miguel de Cervantes ali presente. Para o presidente, o espaço da livraria é de um coletivo de sócios interessados na cultura e na literatura estando sempre aberta para acolher iniciativas de cunho artístico e cultural.
Após as palavras iniciais houve apresentação de peças musicais executadas em flautas por alunos da Faculdade de Música da UFRN. O grupo foi saudado por Ceiça Almeida que agradeceu a presença de todos e, falando em nome do GRECOM, lembrou o esforço de seu grupo de …