Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2011

Povos Indígenas no Brasil

Acesso para portadores de necessidades especiais.


Com fotos de Rosa Gauditano, documentários xavantes e palestra, a mostra retrata 34 das mais de 225 culturas indígenas no país“As pessoas não respeitam o que não conhecem”.
A frase é do ancião Seburã Xavante e motiva o projeto Povos Indígenas no Brasil. A exposição é fruto do trabalho da fotógrafa Rosa Gauditano que, nos últimos 20 anos,  dedica-se a registrar a multiplicidade de etnias indígenas no país. Com abertura na terça-feira (1º), a mostra recebe visitantes de 02 de fevereiro a 09 de março de 2011, na Galeria Piccola II da CAIXA Cultural Brasília.
A mostra é composta por 60 fotos coloridas, material documentado pela fotógrafa Rosa Gauditano, no período de 1989 a 2010, e dividida em quatro grandes grupos, separados por região geográfica: Norte, com 14 povos; Nordeste, com 5; Sudeste, com 5 e Centro-Oeste, com 10 povos.
Entre os povos apresentados nesta exposição, estão desde aqueles com os quais se tem pouquíssimo contato, como os …

Funai quer levar turistas para reservas indígenas, mas entidade vê problemas.

Thiago Faria, do R7


Agência Estado
Indígenas realizam dança tradicional em aldeia no Mato Grosso; turismo pode virar fonte de renda para comunidades.
Projeto piloto no sul do Amazonas permite pescar em território tenharim.
Um projeto ainda em fase de estudos pela Funai (Fundação Nacional do Índio) pretende explorar um destino ainda pouco conhecido no turismo brasileiro: as reservas indígenas. Com um projeto piloto no sul do Amazonas e outros pedidos de viabilidade na fila para serem analisados, a ideia é fazer do turismo um ganha-pão para comunidades indígenas pelo país.
A primeira experiência, em Humaitá (AM), existe há mais de três anos e consiste em levar turistas para praticar pesca esportiva no território indígena Tenharim/Marmelos. O coordenador da Funai na região, Walmir Parintintin, afirma que a iniciativa partiu da própria comunidade tenharim e buscava uma alternativa de renda para evitar a exploração de madeireiros e garimpeiros. - Em muitos lugares, que não há alternativa, os ind…

TIRADENTES 2011: Documentário critica missões católicas no Amazonas.

Foto: Divulgação Heitor Augusto, enviado especial a Tiradentes
Garanto queRemições do Rio Negroé um documentário muito mais atraente do que o título permite supor. Exibido na noite de terça-feira (25/1), o filme recupera e coloca em perspectiva critica as missões salesianas no Amazonas. Qual é a base desse processo que modificou profundamente o que havia restado das culturas indígenas?

Os documentaristas Erlan Souza e Fernanda Bizarria iniciam a busca por essa resposta com o padre Casimiro Béksta, que atuou na região do Alto Rio Negro nos anos 1950. Com forte sotaque lituano, ele relembra suas histórias como o professor dos índios, esforçado em aprender suas línguas, registrar suas músicas e fonemas. Quase um Dom Sebastião dos índios.

O rascunho de um filme exaltação dos missionários e sua função civilizadora se transforma num retrato crítico da posição colonizadora dos padres. O idílico início deRemições do Rio Negrodá lugar a uma gradativa prestação de contas. Aí o filme cresce.

Largamos…

O preço de não escutar a natureza

Por Leonardo Boff*   

Só controlamos a natureza na medida em que lhe obedecemos e soubermos escutar suas mensagens e ler seus sinais.
O cataclisma ambiental, social e humano que se abateu sobre as três cidades serranas do estado do Rio de Janeiro, Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo, na segunda semana de janeiro, com centenas de mortos, destruição de regiões inteiras e um incomensurável sofrimento dos que perderam familiares, casas e todos os haveres tem como causa mais imediata as chuvas torrenciais, próprias do verão, a configuração geofísica das montanhas, com pouca capa de solo sobre o qual cresce exuberante floresta subtropical, assentada sobre imensas rochas lisas que por causa da infiltração das águas e o peso da vegetação provocam frequentemente deslizamentos fatais.

Culpam-se pessoas que ocuparam áreas de risco, incriminam-se políticos corruptos que distribuíram terrenos perigosos a pobres, critica-se o poder público que se mostrou leniente e não fez obras de …

Castanha do Pará é a principal fonte de renda de índios do Noroeste de MT

Rádio Tucunaré

Indigenas integrantes das etnias Apiaká, Munduruku e Kaiabi do município de Juara, que haboitam as margens direita e esquerda do Rio dos Peixes na Reserva Kaiabi/Apiaka têm a sua principal fonte de renda ligada a colheita e comercio da castanha do Pará.
Segundo Nicolal Morimã, representante da Fundação Nacional do Índio (FUnai)na região, o ano de 2010 teve colheita abundante e o produto colhido foi comerciado com empresários da cidade Iporá em Goiás, onde existe uma empresa que industrializa a castanha do Pará.
Neste ano a colheita da castanha está se apresentando mais fraca, mesmo assim já foi colhido em torno de 30 toneladas e a perspectiva é de que pelo menos 60 toneladas sejam colhidas até o fim da safra.
Os índios, colhem a castanha inicialmente nas regiões produtoras dentro dos limites da reserva e no final do período eles adentram às propriedades de alguns fazendeiros que permitem a colheita em suas terras.
Todo o processo é feito artesanalmente, os grupos de cole…

Ministério assina convênio de R$ 2 milhões para melhorar situação de índios

OLHAR DIRETO ONLINE Da Redação - Alline Marques
O Ministério da Saúde informou que já está adotando medidas para amenizar a crítica situação dos índios xavantes de Campinápolis. De imediato o órgão federal realizou a assinatura de um convênio com a ONG Organização Nossa Tribo (ONT), no valor de R$ 2,07 milhões para ampliar o quadro de funcionários responsáveis pelo atendimento aos xavantes. Com o contrato, será possível a contratação de mais 104 profissionais que se juntaram ao quadro atual que possui 400 funcionários. Ao todo serão 504 funcionários atendendo os Xavantes. Compra de seis novas viaturas. O Ministério também fez a aquisição de seis novas viaturas e contratou uma empresa para manutenção da frota do DSEI Xavante. Com isso, será possível colocar em campo os 15 veículos que encontram-se parados atualmente por falta de reparo. Ao fim do conserto serão 21 carros em ação. O órgão também irá implantar a autonomia do Distrito Sanitário Especial Indígena Xavante (Dsei Xavante) e já pla…

Além da vista do mar

A NOTÍCIA-SC

Itapoá reserva atividades também fora das areias. Do surfe aos sambaquis, a praia conserva resquícios da cultura indígena
Começou como num romance: um jovem índio saiu de sua tribo do Alto Xingu para buscar conhecimento e depois levá-lo para a comunidade. No meio do caminho, se apaixonou pela filha de um fazendeiro, quis casar e voltar com a moça para a casa dos pais. O problema é que a filha do fazendeiro não se acostumaria com a vida na tribo, morando em ocas e longe da cidade. Então o índio resolveu fazer o sacrifício: e hoje Yawaritsawa, 30 anos, trabalha na fazenda do sogro e é casado com Ana Maria Machado.
Enquanto ela administra a reserva ecológica na qual a propriedade do pai dela se transformou – conhecida na cidade como Fazenda do Machado – Yawaritsawa é uma atração à parte.
Hoje ele se autointitula "um índio moderno, hi tech", já que o guarda-roupa está cheio de roupas coloridas que nada lembram os colares e penas dos trumais e waurás, as tribos da mã…

Mantida portaria reconhecendo Terra Indígena Toldo Imbú

A Justiça Federal negou o pedido de anulação da Portaria no 793 do Ministério da Justiça, expedida em 2007, que declarou de posse permanente da etnia Kaingang a denominada Terra Indígena Toldo Imbú, em Abelardo Luz, Oeste de Santa Catarina. O juiz Frederico Montedonio Rego, da 2a Vara Federal de Chapecó, considerou que o estudo antropológico realizado comprova que a área, com 1.965 hectares, é de ocupação indígena tradicional e que a Constituição assegura à etnia o direito sobre as terras. Os atuais ocupantes, a maioria agricultores, poderão permanecer no local pelo menos até a homologação da demarcação por Decreto Presidencial, conforme decisão do mesmo juiz. A sentença negando o pedido de anulação foi proferida ontem (segunda-feira, 10/1/2011), em ação do Município de Abelardo Luz, 42 particulares e três empresas contra a União e a Fundação Nacional do Índio (Funai), assim como a decisão autorizando a permanência provisória dos atuais ocupantes, medida que, considerando o histórico d…

Funai interdita área no Pará para abrigar índios isolados

BRASÍLIA – A Fundação Nacional do Índio (Funai) vai restringir, por dois anos, a entrada de pessoas na Terra Indígena Ituna/Itatá, no Pará. O objetivo é fazer estudos sobre a presença de grupos indígenas isolados entre os rios Xingu e Bacajá. Apenas funcionários do órgão estão autorizados a entrar na área.
A portaria foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (12). Funcionários da Funai vão fazer estudos preliminares, com base em expedições de rotina e relatos de indígenas e moradores das proximidades, que indicam a presença de índios isolados na região. De acordo com o órgão, é necessário fazer uma interdição administrativa da área para garantir a segurança dos funcionários e proteger esses grupos, que não mantém contato com a chamada civilização.
Há 67 referências de índios isolados em todo o Brasil. Na região paraense interditada, além dos índios não contatados, vivem comunidades Araweté, Apiterewa, Asuriní e Xikrin. Atualmente, na Funai, 12 Frentes de Proteção Etn…

Mestrado da UNB beneficia alunos indígenas da Uems

SÍTIO DOURADOS NEWS, 10.01.2011 Assessoria de Comunicação da Uems

A Universidade de Brasília (UNB) está com inscrições abertas para o mestrado profissional em Desenvolvimento Sustentável, destinado aos povos indígenas. Das 26 vagas oferecidas pelo programa, 13 são reservadas exclusivamente a indígenas que tenham formação em curso superior. As inscrições para o primeiro período letivo de 2011 vão até o dia 11 de fevereiro. Confira o edital no anexo.
O programa beneficia diretamente os alunos e egressos da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems) que destina 10% de todas as suas vagas de graduação a indígenas. A Universidade foi a primeira do Brasil a adotar o sistema de cotas para seleção de indígenas. Desde 2004, quando o sistema de cotas passou a valer, 38 indígenas já completaram o ensino superior pela Uems e estão aptos a concorrerem às vagas do novo mestrado oferecido pela UNB.
Além de estimular a inserção desses alunos, a Pró-Reitora de Extensão, Cultura e Assuntos Comu…

MPF tentará barrar Belo Monte se exigências não forem cumpridas

Fonte: CORREIO DA BAHIA

Edison Lobão afirmou que licença para obras sairá em fevereiro

O procurador Felício Pontes, do Ministério Público Federal (MPF), afirmou ao G1 que entrará com uma ação judicial contra a União caso o Ministério do Meio Ambiente autorize o início das obras da usina de Belo Monte, no Pará, antes do cumprimento de 40 exigências ambientais estipuladas pelo Ibama.
Na última sexta-feira (7), o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse que a licença para a instalação do canteiro de obras sairia até fevereiro. Segundo ele, a data havia sido estipulada pela Ministra do Meio Ambiente, Isabella Teixeira.
A ministra Izabella Teixeira informou, por meio da assessoria do Ministério do Meio Ambiente, que a licença será mesmo concedida, mas não estipulou data.
De acordo com Pontes – um dos responsáveis por verificar se as condições ambientais estão sendo cumpridas – é impossível realizar as 40 tarefas até o final do próximo mês. "Há condicionantes que estamos há 10 …

Carteira Indígena investe R$ 1 milhão em projetos para mulheres

A Carteira Indígena - Segurança Alimentar e Desenvolvimento Sustentável em Comunidades Indígenas - vai disponibilizar R$ 1 milhão para projetos voltados para as mulheres.
Esta é a primeira chamada pública da Carteira Indígena direcionada às índias.
Os projetos devem prever atividades econômicas sustentáveis e fortalecimento de práticas e conhecimentos tradicionais para o sustento dos povos indígenas.
Podem enviar propostas as associações de mulheres indígenas e entidades que cumpram as diretrizes da Carteira Indígena.
As inscrições devem ser enviadas ao Ministério do Meio Ambiente (MMA) até 4 de outubro.
A chamada atende a um dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas ao promover a autonomia das mulheres.
A saúde das mulheres também é outra preocupação da Carteira Indígena. Estudo da Fundação Nacional da Saúde aponta um quadro de crescimento de doenças como hipertensão e diabetes, altos índices de anemia, sobrepeso e obesidades, bem como alimentação inadequada.
A C…